domingo, 29 de novembro de 2015

[leituras] Crónicas Marcianas

Título: Crónicas Marcianas
Autor: Ray Bradbury
Páginas: 190
Ano: 1950

Este livro não era tipo 1984 que de estava sempre no topo da lista para ler mas nunca acabava lido. Este nunca me lembrava dele. Quando me falavam do livro, ou quando o via, aí sim, vinha uma coisa das maiores profundezas do meu ser a dizer que tinha de o ler. 

Já não precisarei de me esquecer e/ou lembrar mais vez nenhuma que desta é que foi. 

E realmente isto é um belo dum livro!

São pequenas crónicas, em diferentes tempos e com diferentes pessoas, de gente em Marte. Os marcianos a fazerem a sua vidinha, e os terráquios que começam a ir explorar o planeta com ideias de ficarem por lá a viver. 

E vemos a evolução de dois povos, o contraste da vida da Terra com a vida em Marte e de forma muito interessante, e bizarra ao mesmo tempo, a fragilidade humana.

Ao pesquisar um bocadinho sobre o livro encontrei várias pessoas, leitores recentes, que criticavam o livro dizendo que as ideias que continha tinham pouco de originais e menos ainda de interessantes. Eu só consigo discordar. Este é um livro com alguma coisa de especial, de intrinsecamente bom.

Seja porque os humanos caem que nem tordos, seja porque os marcianos são espertos e brincam connosco como bonequinhos, e mais a mais, numa estrutura em que não temos um contínuo, mas sim uma história contada por partes, o livro fica ainda mais interessante, mais cativante e quando chega ao fim fica-se com pena.

"Bradbury não falha!" e é bem verdade. Esta escrita é fabulosa e tem em mim aquele efeito que tanto se fala de viajar dentro de um livro. Cativa, envolve e durante o tempo em que o leio não estou cá, estou em Marte ou onde quer que seja.

Só tenho pena de ter sido a primeira vez que li isto, porque cheira-me que vai ser relido várias vezes, para apanhar detalhes que me escaparam agora, e para apreciar outra vez esta obra. Daqui a um aninho, ou assim!

Sem comentários:

Publicar um comentário