domingo, 28 de setembro de 2014

Não me livro das pilhas...

Recentemente dei uma volta bastante jeitosa ao meu quarto. Toneladas e toneladas de tralha que uma acumuladora bem treinada - durante toda a sua vida - foi guardando e que, a muito custo, conseguiu deitar fora. 

Sim senhora, é verdade: o quarto parece que ganhou espaço. Há mais sítios desimpedidos, gosto de me mexer com mais à vontade, tudo me parece muito bem. Mas um dos grandes motivos que me fazia querer dar a volta ao quarto era a quantidade de pilhas que já tinha acumuladas por todo o lado. E não, não estou a exagerar: duas pilhas na mesinha de cabeceira, uma ao fundo da mesinha de cabeceira, três em frente ao armário, umas seis em cima da cadeira e mais umas 4/5 em cima da secretária. Eu às vezes no gozo dizia que devia ter uns 2 metros de livros, só empilhados. Quando me dignei a realmente a arrumá-los encontrava livros saídos de todo o lado e o que inicialmente me pareciam  2 metros deviam ser uns 5. Isto tudo sem contar que as prateleiras do meu quarto estavam cheias!

Mas as arrumações foram feitas, forrei a parede do corredor com os meus metros e metros de livros e depois comecei a pô-los nos sítios devidos. Muitos livros estavam completamente estragados e já não se fazia nada deles, outros não me interessavam propriamente e nenhum dessas categorias voltou a ocupar espaço precioso das minhas prateleiras. Com jeitinho meti os livros mais pequenos a fazer duas filas e com isso ainda ganhei um bom bocado de espaço.

AINDA ASSIM! os livros não estão todos nas prateleiras. Eu achei que sim mas não! Havia livros que não estavam nas minhas mãos e que agora voltaram. E agora, onde é que os ponho? Isto é pior do que tentar estacionar em Lisboa. Quando tentei por mais dois livros de uma colecção junto aos restantes tive de por dois livros empilhados. 

Depois uma pessoa acaba por tê-los divididos. Os que estão para ler nos próximos tempos, os que estão para arrumar assim que haja um cantinho, os de um dado autor, os de um dado estilo. Isto leva a quê? Montes de livros espalhados em pilhas diversas. 

Agora olhei à minha volta e a ficha caiu: voltei a ter o quarto cheio em pilhas! 

Por agora as pilhas que tenho são pequenas e com alguma facilidade - se calhar não tanta assim - conseguirei dissolvê-las mas cheira-me que não irá demorar muito até precisar de mais prateleiras.

Mas verdade seja dita, não sei se isto inconscientemente não foi arranjado por mim. Assim eles andam mais ao pé de mim, bem juntinhos, tenho de lhes mexer a todas as horas, tiro dum lado, ponho no outro, leio um bocadinho como quem não quer a coisa. Eu gostava imenso de os ter mesmo arrumadinhos mas tenho mais livros que espaço. E não tenciono parar de os arranjar. Estou bem arranjada!

2 comentários: