quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[leituras] O culto do Chá

Título: O Culto do Chá
Autor: Wenceslau de Moraes
IlustraçõesYoshiaki
Páginas: 64
Ano: 1905

É giro ter namorado. É giro ter namorado que é tão bookworm como eu. É giro que ele nem saiba bem o que tem mas que depois quando descobre é uma festa. Melhor do que isso só quando descobre, ou se apercebe, que tem um livro que há-de ser ideal para eu ler. É esta a premissa deste O Culto do Chá.

Eu tenho uma fixação pelo Japão, desde há muitos anos. Acho um país interessante, uma cultura riquíssima e curiosa e um dia ainda irei lá. Para juntar à equação sou viciada em chá. Quando este livro apareceu na minha vida foi uma sensação maravilhosa de ter atingido um patamar diferente na minha vida.

Esta edição, fac-simile da original (na qual nem quero imaginar porque pela descrição dela é qualquer coisa de caírem os olhos), é dos livros mais bonitos que tive oportunidade de folhear. Ilustrações lindíssimas num papel (que parece) antigo quase que me transportaram realmente para terras nipónicas. 

Aqui fala-se, imagine-se, de chá! Da história do chá, das características do chá, da evolução do chá, da função do chá na sociedade, a importância da cerâmica pela necessidade de manter as características das folhas, a maneira de preparar o chá, a arte de o servir, bem, das várias coisas que se possa falar sobre chá. E é maravilhoso.

Por exemplo: Darumá adormeceu, mas para meditar não era possível adormecer. Para que esse mal não existisse cortou as pálpebras e plantou-as. Daí nasceu um arbusto e das folhas desse arbusto fazia-se uma infusão, óptima contra o cansaço. Assim nasceu o chá. Pode soar estranho mas acho uma história extremamente interessante. Descobri que bonecos de madeira deste mesmo Darumá são guardados em casa como objecto de culto. Quero um, obviamente!



Nota importantíssima: o chá bebe-se sem leite e sem açúcar. Eu sempre o disse e sempre o pratiquei! Agora meter cá mixórdias no chá, pfft...

Este é sem dúvida um dos livros mais bonitos que já vi, ilustrações lindíssimas, edição lindíssima, tudo lindíssimo! Já vi que há mais livros deste calibre, parece-me que o meu Darumá (que hei-de ter) terá de ser acompanhado com mais uns livrinhos deste género.

2 comentários:

  1. Score!

    Essa história do Daruma creepa-me um pixel :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei um bocado fascinada com o Daruma! Quero um. E um buda!

      Eliminar